ALMAKIA - A Vilashi e os Dragões - RESENHA


RESENHA – ALMAKIA

Almakia 1 – A Vilashi e os Dragões
Lhaisa Andria    Facebook    Skoob    Blog    Onde comprar
A sociedade instalada como governante em Almakia era a dos almakins, pessoas especiais por causa de uma característica, fosse ela herdada de família ou não, que os fazia sentirem-se superiores a qualquer um que não a tivesse. Garo-lin nasceu com a prenda (ou pelo menos era o que todos achavam), de possuir tal característica. E assim como todos os outros almakins, fora enviada para o Instituto Dul’Maojin, para que pudesse aprimorar seu “dom”. Tendo nascido em uma vila, era simplesmente ignorada por entre os corredores, como se fosse apenas mais uma pedra em meio às paredes da majestosa construção. Tentando com toda a sua força de vontade o objetivo de fugir dos temidos Dragões, ela se escondia por entre os corredores quando os via. Porém, a entrada de uma kodorin no Instituto e um enorme incidente com seu “bicho de estimação” fizeram com que toda a sua vida mudasse bruscamente de direção.
Sinceramente, fora o livro que eu li mais rápido por um motivo diferente: Eu não conseguia parar de ler. A cada momento em que a vilashi explodia, havia uma explosão no meu peito que gritava pedindo por explicações: “E agora? O que será que ela irá fazer?!” e em vários instantes eu tive que concordar com ela; aquele Dragão era idiota, mas que superou minhas expectativas.
Lhaisa Andria surgiu-me, aparentemente, como uma escritora de fanfics. Não sei porque, mas associei seu modo de escrever ao das histórias tão vangloriadas por minha filha que um dia tive a curiosidade de conhecer. Ela logo veio me dizendo que eu estava com o raciocínio correto e que adoraria lê-lo. Como eu, ou até mais do que eu, ela chegou a uma conclusão: o livro é ótimo e possui uma leitura muito confortável.
Identifiquei o livro como um que  prendesse à literatura fantástica juvenil e tendo seus detalhes minuciosamente descritos pela autora.
As personalidades superiores dos Dragões, o senso de justiça, a explosividade da vilashi e o sotaque engraçado da kodorin conseguiram retirar de mim vários sorrisos, sentimentos de raiva e tristeza em alguns momentos.
Gostaria e espero ansiosamente fazer a leitura do segundo volume de Almakia, com a mesma vilashi e os Dragões que me emocionaram e dos quais sentirei falta até a chegada do então mencionado.
Recomendo à todos.
Chaiene Barboza
Autor de Filhos do Tempo
Capa
Como alguém que acompanhou a saga desde o princípio, confesso que não gostei da capa quando ainda era uma amostra e até comentei isso com a Lhaisa. Mas a partir do momento em que ela estava pronta, mostrando tantos detalhes sobre o mundo dela apenas com um olhar (literalmente), digo que a capa ganhou meu coração! xD
 Paula Vendramini
Autora de Devoy – Kassan

Comentários