A Outra Missão de Merko - Capítulo 21 - início (Degustação do livro "Os Filhos do Tempo")

Disponível nas livrarias clubedosautores e agbook
impresso e e-book


A OUTRA MISSÃO DE MERKO


Merko, enquanto descansava em sua nave, começou
a se lembrar da sua última missão no planeta Terra,
quando ele e seu amigo Silion vieram testar os efeitos
dos campos magnéticos terrestres e gravitacionais sobre
os seres do planeta Vida. Além disso, eles também
estavam experimentando a precisão da viagem espaçotemporal.
Quando estavam sobre o deserto americano no Novo
México, foram atacados por aviões-caças da Força Aérea
Norte Americana e mesmo usando a velocidade máxima
da nave, foram atingidos por um míssil e caíram no
deserto. Antes da nave cair, Merko se teletransportou
para longe do local. Tentou levar Silion com ele, mas
seu amigo estava ferido, e foi impossível naquele
momento, salvá-lo.
Os americanos levaram a nave e Silion ferido, para
uma base do Exército, no Arizona e lá começaram a fazer
experiências. Seu amigo, mesmo ferido, conseguira se
comunicar telepaticamente com Merko. Já estava prestes
a se matar, quando Merko pediu uma chance para tentar
salvá-lo.
– Por favor, Silion, não se vá agora, posso pensar
numa maneira de chegar até aí – disse Merko.
– Mas, amigo, nós fomos instruídos a tirar nossa
própria vida no caso de sermos presos e sabemos que as
consequências de nossos contatos podem ser fatais para
a evolução da raça humana – respondeu Silion.
– Por favor, aguente mais um pouco, eu preciso de
somente mais um dia. Por favor, me dê uma chance de
executar um plano.
Merko sempre tinha um plano A e um plano B e
costumava resolver suas missões, por mais difíceis que
fossem. Então, se teletransportou tocando no relógio azul
que tinha em seu pulso, para perto da Base 51, colocou
seu óculos de transformação para virar terráqueo e ficou
observando o movimento de todos que ali entravam.
– Como está a situação aí dentro? – perguntou
ansioso, telepaticamente.
– Há muitos homens de roupa branca, se preparando
para me examinar. Porém, parecem estar esperando
alguém – disse Silion.
Este alguém era o chefe da equipe Alfa-Ômega. Eles
eram especialistas em assuntos extraterrestres. O objetivo
deste Órgão era descobrir a presença de seres alienígenas
entre nós, para capturá-los e fazer pesquisas, a fim de
aprimorar o conhecimento tecnológico, científico e bélico.
Porém, embora pertencesse ao governo, tinha que
trabalhar secretamente, pois no caso de contato pacífico
dos extraterrestres com outras nações, o governo não
ficaria prejudicado, politicamente.
A missão de captura e carceragem era executada pelos
militares, com suas bases bem preparadas e boa logística,
enquanto a parte de pesquisas, comunicação e
inteligência era executada pelos membros das equipes
do grupo Alfa-Ômega.
Merko então viu um major, que entrara no local, com
uma viatura do exército e por quinze minutos
permaneceu na Base.
Quando este saiu, começou a segui-lo. Ele se
teletransportava para os locais para onde o militar se
dirigia e planejava tomar o lugar dele.
Calmamente, chegou até a casa do militar. Ainda no
jardim da casa, abordou o militar com uma arma laser
que transportava. O major desmaiou e Merko passou
um laser scanner sobre o corpo dele passando as suas
informações genéticas para um chip, que adaptou aos
seus óculos de transmutação genética. Imediatamente,
se tornou uma cópia perfeita do major e resolveu
desintegrá-lo com sua arma laser, para que não restassem
vestígios do terráqueo.
Alguém na janela o chamou de repente, e ele pode
ver que era uma linda mulher.
– Oi, John. Pensei que você não sairia mais daquela
maldita Base. O governo parece louco ao construir esses
lugares supersecretos embaixo da terra. Além do que,
se acontecer alguma catástrofe, somente eles se salvam.
E daí, eles vão viver no mundo para quê? Vamos, entre,
preparei um jantar quente e saboroso.
Merko andou pela sala admirando o local asseado,
com uma lareira acesa ao fundo e um aspecto confortável
com luzes fracas e velas acesas. Um ambiente muito
agradável, ele pensou. Havia retratos do major com
Lorena, sua esposa, que exibia cabelos com cachos
dourados, cútis branca e suave como pêssego, e uma
beleza digna de uma deusa.
– Vamos, querido, tome um banho quente. Já está
tudo preparado lá em cima, mas se apresse, pois o jantar
está delicioso e achei na adega aquele vinho do Porto
que você adora – disse Lorena.
Merko sem falar uma palavra, subiu como um servo
e tomou o seu banho quente. Voltou rapidamente e logo
percebeu que o som que emitia, era a voz perfeita do
major. Pensou em como a Engenharia Genética
funcionava bem.
– Vamos jantar, querido. Hoje você está tão calado.
Aconteceu alguma coisa? – ela perguntou.
– Não, apenas estou cansado – respondeu.
– Espere que depois do jantar, farei aquela massagem
que você adora para relaxar.
Ele, então, experimentou o sabor daquele vinho
delicioso com um jantar saboroso e logo se pôs a bocejar,
mostrando cansaço. Depois, eles subiram para o quarto,
quando Lorena começou a beijá-lo..... 

Comentários

Postagens mais visitadas